PG jogos

T-Cross Sense: relato completo, detalhes de 41.000 km de uso

t cross sense 2020 relato 1

Meu nome é Leo Ávila, sou aposentado, tenho 66 anos, sou autoentusiasta e tive dezenas de carros.

Tive desde o primeiro Fusca, nos idos de 1979, passando entre outros por Chevette, Brasília, Escort, Monza, Verona, Linea, Bravo, Siena, Argo, Cerato, Civic, Picanto, Fiat 500, Peugeot 2008, Sentra, Fluence e mais recentemente um Tracker 1.4.

Com a experiência adquirida em todos esses anos com veículos, vou aqui narrar em detalhes a convivência com o T-Cross adquirido zero km em fevereiro de 2020 até a venda 40 meses depois em junho de 2023 com 41.000 km rodados: custos de compra, acessórios, emplacamento, combustíveis, manutenção, estacionamentos e lavagens e ainda seguros, até a venda.

(Gostaríamos de publicar também o relato do seu carro, nos envie através do email satellitesa.com@x.cn)

A pesquisa e decisão da compra

Quando decidi vender meu carro anterior, uma Tracker, para adquirir um novo SUV com isenções a que PCD têm direito (só queria SUV em virtude de ruas bastantes esburacadas que alagam com chuvas fortes e estradas na região normalmente de péssima qualidade) haviam muitos opções e andei fazendo teste drive em vários.

O Kicks apesar do bom espaço interno, consumo elogiado por proprietários e de bom porta malas, eliminei imediatamente por vir pouquíssimo equipado.

O Peugeot 2008 que já havia possuído um tempos atrás e, até gostado bastante mas era também bem menos equipado que outras opções, por isso eliminei também.

t cross sense 2020 relato 2

Na época o Ecosport ainda estava a venda mas, na versão PCD não era dos mais equipados.

O Captur ainda com o motor 1.6 aspirado no teste drive detectei que em comparação ao acabamento do Fluence que havia possuído pouco tempo atrás era absurdamente inferior além do alto consumo de combustível conforme informações lidas em diversos sites, revistas e vídeos do youtube.

A Tracker com o motor 1.0 Turbo ainda não havia sido lançada.

O HR-V não tinha versão para PCD. Aí sobraram os seguintes:

O Cactus que a Citroen lançou uma versão para PCD bem completa e me deixou bem inclinado a optar por ele, mas com o lançamento do T-Cross Sense pela VW desisti da opção Citroen.

O Renegade que gosto demais do acabamento e conforto da suspensão além de que vinha na versão PCD bem equipado, desisti porque havia possuído tempos atrás um Linea e um Bravo com o mesmo motor 1.8 aspirado, apesar de algumas melhorias no motor desde o modelo 2017 se não me engano, mas as informações gerais é que mesmo assim continuava consumindo muito e relativamente fraco para o Renegade, o que não acontecia nos dois carros da Fiat.

t cross sense 2020 relato 3

Sobrou então o T-Cross que a VW na época lançou uma versão Sense destinada ao público PCD e que em comparação aos demais era bastante completa e dava direito ainda as três primeiras revisões gratuitas, tem um excelente espaço interno e um porta-malas que não sendo dos maiores atendia a necessidade familiar.

Eu que só havia adquirido um veículo zero km da marca, um Fusca nos anos 80, era meio resistente aos VW por não gostar do acabamento em geral dos produtos deles, e pesando todos os prós e contras de cada opção terminei optando pelo T-Cross.

1. A Compra

Foi adquirido em fevereiro de 2020 no modelo Sense por R$ 57.600, preço para PCD.

Veio bem equipado incluindo inclusive Câmera e Sensor de Ré que foi um brinde da Concessionária em Aracaju onde moro, com direito ainda as três primeiras revisões gratuitas como já citado.

As ausências mais sentidas são o tampão do porta-malas e apoio de braço no console.

t cross sense 2020 relato 4

2. As primeiras despesas

2.1 Enquanto aguardava a chegada do carro, após o pedido comprei pela internet um tampão do porta malas por R$ 170, preço menor que 1/3 do instalado na concessionária, um pouco mais pesado mas sem problema de barulhos ou danos nos 40 meses de uso, o apoio de braço não comprei pois o vendido na internet havia muitas críticas em relação a qualidade e optei em não comprar.

2.2 O seguro custou para o meu perfil (com desconto máximo na classe 10) R$ 1.503.

2.3 O Licenciamento inicial incluindo placas ficou em R$ 590, para PCD o IPVA é isento.

2.4 Outros acessórios: um parasol R$ 20 e um cabo USB R$ 22 já que a multimídia dele só conectava ao celular via cabo para aplicativos (Waze ou Google Maps) ou via Bluetooth para fone e músicas, e ainda um shampoo p/ lavagem a seco R$ 58, nunca utilizado.

t cross sense 2020 relato 5

3. O Primeiro ano até 31/12/2020

3.1 Kilometragem percorrida: foi o ano da pandemia, fiquei muitas semanas sem sair de casa, rodei somente 6.855 km.

3.2 Combustível utilizado: total de 740,62 lts sendo 114,74 lts de álcool e 625,88 lts de gasolina. O preço médio por litro naquele ano ficou em R$ 4,09, com gasto total de R$ 3.032,27, ficando o custo com combustível por km rodado em R$ 0,44.

3.3 Outros gastos no ano além dos já citados quando da compra: Lavagens e estacionamentos R$ 178

3.4 Consumo: medido sempre na bomba, o computador de bordo sempre registra um consumo melhor que o na bomba superior a 10% e no ano o percentual de rodagem em estrada foi 8%.

3.4.1 Pior consumo no ano: 6,44 km/lts em 95 kms percorridos em cidade transito pesado, abastecido com 25% álcool e 75% gasolina, uso com ar ligado todo o tempo.

3.4.2 Melhor consumo cidade com percurso parte em avenidas, trânsito livre e ar ligado em parte: 11,69 km/lts em 343 kms percorridos com 100% gasolina.

3.4.3 Melhor consumo em estrada: 14,74 km/lt em 359 kms percorridos na Linha Verde e Estrada do Coco entre Salvador e Aracaju com média horária de 80 km/h.

t cross sense 2020 relato 6

QUADRO RESUMO DE GASTOS E CONSUMO EM 2020

Licenciamento R$ 590
Manutenção e Acessórios R$ 270
Estacionamento e Lavagens R$ 178
Seguro R$ 1503
Consumo médio cidade 6184 kms 80% gas 8,94 KM/LT
Consumo médio estrada 671 kms gasolina 13,52 KM/LT
Consumo médio no ano geral 80% gasolina 9,26 KM/LT
Gasto por km com combustível R$ 0,44
Gasto total por km R$ 0,81
TOTAL DE KMS c/ 9,7% em estrada 6855

4. O ANO DE 2021

4.1 Kilometragem percorrida: 12803 kms

4.2 Combustível utilizado: 1245,22 lts sendo 381,54 álcool e 860,71 gasolina. O preço médio por litro naquele ano ficou em R$ 5,383, com gasto total de R$ 6703,84, ficando o custo com combustível por km rodado em R$ 0,52.

4.3 Seguro: R$ 1.583

4.4 Licenciamento: R$ 260

4.5 Estacionamentos e lavagens: R$ 398

4.6. Manutenção e acessórios: Alinhamento e balanceamento na revisão R$ 169, tive um despesa com franquia do seguro na troca de uma laterna traseira R$ 500, e houve um segundo alinhamento e balanceamento no ano R$ 70

4.7 Consumos: enfatizando que sempre medido na bomba, percentual de rodagem em estrada no ano foi de 10%.

4.7.1 Pior consumo no ano: 7.78 km/lts em 181 kms percorridos em cidade transito pesado, abastecido com álcool, uso com ar ligado quase todo o tempo.

4.7.2 Melhor consumo cidade com percurso em sua maioria em avenidas, trânsito livre e ar ligado em parte: 13,03 km/lts em 333 kms percorridos com 100% gasolina.

4.7.3 Melhor consumo em estrada: 14,97 km/lt em 279 kms percorridos na Linha Verde e Estrada do Coco entre Aracaju e Salvador com média horária de 80 km/hr.

4.7.4 Melhor consumo em cidade com 100% álcool: 9,16 km/lt em 319 kms com percurso em sua maioria em avenidas com trânsito livre e em parte com ar ligado.

4.7.5 Melhor consumo em estrada com álcool: 11,79 km/lt com percentual de 49% de álcool com média horária de 80 km/hr em viagem Aracaju/Maceió num percurso de 392 km.

t cross sense 2020 relato 1

QUADRO RESUMO DE GASTOS E CONSUMO EM 2021

Licenciamento R$ 260
Manutenção e Acessórios R$ 739
Estacionamento e Lavagens R$ 398
Seguro R$ 1583
Cons md cidade 11.377 kms c/ 34% álc 9,01KM/LT
Consumo médio estrada gasolina 279 kms 14,97 KM/LT
Consumo md estrada 60% álcool 439 kms 11,68 KM/LT
Consumo md estrada 100% alc 718 kms 11,56 KM/LT
Consumo médio no ano 10,28 KM/LT
Gasto por km com combustível R$ 0,52
Gasto total por km R$ 0,75
TOT DE KMS ROD c/ 11% em estrada 12803

5. O ANO DE 2022

5.1 Kilometragem percorrida: 13968 kms

5.2 Combustível utilizado: 1375,1 lts sendo 404,41 álcool e 970,69 gasolina. O preço médio por litro naquele ano ficou em R$ 5,567, com gasto total de R$ 7656,25, ficando o custo com combustível por km rodado em R$ 0,54.

5.3 Seguro: R$ 1.433

5.4 Licenciamento: R$ 280

5.5 Estacionamentos e lavagens: R$ 728

5.6. Manutenção e acessórios: Alinhamento e balanceamento R$ 100

5.7 Consumos: enfatizando que sempre medido na bomba, percentual de rodagem em estrada no ano foi de 9,5%.

5.7.1 Pior consumo no ano: 6.02 km/lts em 232 kms percorridos em cidade transito pesado, abastecido com álcool, uso com ar ligado quase todo o tempo.

5.7.2 Melhor consumo cidade com percurso em sua maioria em avenidas, trânsito livre e ar ligado em parte: 12,94 km/lts em 201 kms percorridos com 100% gasolina

5.7.3 Melhor consumo em estrada: 12,86 km/lt em 240 kms percorridos com gasolina, em estradas estaduais com diversos pequenos percursos em cidades do interior em baixa velocidade com média horária final de 60 km/hr.

5.7.4 Melhor consumo em cidade com 100% álcool: 9,16 km/lt em 319 kms com percurso em sua maioria em avenidas com trânsito livre e em parte com ar ligado.

5.7.5 Melhor consumo em estrada com álcool: 12,96 km/lt com percentual de 49,4% de álcool com média horária de 80 km/hr em viagem Aracaju/Maceió num percurso de 370 km.

QUADRO RESUMO DE GASTOS E CONSUMO EM 2022

Licenciamento R$ 280
Manutenção e Acessórios R$ 100
Estacionamento e Lavagens R$ 634
Seguro R$ 1433,28
Cons md cidade 12.405 kms c/ 34% álc 9,99 KM/LT
Consumo md estrada 50% alc em 1563 km 11,87 KM/LT
Consumo médio no ano 10,15 KM/LT
Gasto por km com combustível R$ 0,58
Gasto total por km R$ 0,72
TOT DE KMS ROD c/ 9,7% em estrada 13968

6. O ANO DE 2023

6.1 Kilometragem percorrida: 7474 kms

6.2 Combustível utilizado: 703,54 lts sendo 26,41 álcool e 677,13 gasolina. O preço médio por litro nesse ano ficou em R$ 5,43, com gasto total de R$ 3820,55, ficando o custo com combustível por km rodado em R$ 0,51.

6.3 Seguro: R$ 2.040

6.4 Licenciamento: R$ 308, perícia e documentação para venda R$ 261

6.5 Estacionamentos e lavagens, incluindo bancos: R$ 728

6.6. Manutenção e acessórios: Revisão de 40.000 em Oficina de confiança fora da concessionária com alinhamento e balanceamento R$ 1.185, Troca de óleo e filtros R$ 238, conserto do alto-falante dianteiro lado do motorista R$ 50, anúncios p/venda R$ 130, parasol R$ 25, instalação insufilme R$ 170.

6.7 Consumos: enfatizando que sempre medido na bomba, percentual de rodagem em estrada no ano foi de 32%.

6.7.1 Pior consumo no ano: 7,46 km/lts em 180 kms percorridos em cidade trânsito pesado, abastecido com gasolina, uso com ar ligado quase todo o tempo.

6.7.2 Melhor consumo cidade com percurso em sua maioria em avenidas, trânsito livre e ar ligado em parte: 10,67 km/lts em 382 kms percorridos com 100% gasolina

6.7.3 Melhor consumo em estrada: 15,58 km/lt em 371 kms percorridos na Linha Verde Aracaju/Salvador velocidade com média horária final de 80 km/hr abastecido com gasolina.

6.7.4 Melhor consumo em cidade com 50% álcool: 10,65 km/lt em 282 kms com percurso em sua maioria em avenidas com trânsito livre e em parte com ar ligado.

6.7.5 Melhor consumo em estrada com álcool: 12,96 km/lt com percentual de 49,4% de álcool com média horária de 80 km/hr em viagem Aracaju/Maceió num percurso de 370 km.

QUADRO RESUMO DE GASTOS E CONSUMO EM 2023

Licenciamento perícia e documentação R$ 569
Manutenção e Acessórios R$ 1798
Estacionamento e Lavagens R$ 728
Seguro R$ 2040
Cons md cidade 5.494 kms c/ 3% álc 10,09 KM/LT
Consumo md estrada em 1980 km 14,36 KM/LT
Consumo médio no ano 10,625 KM/LT
Gasto por km com combustível R$ 0,51
Gasto total por km R$ 1,198
TOT DE KMS ROD c/ 27% em estrada 7474

Observações e análise final

1. Os dados de consumo foram anotados a cada abastecimento de todo o período com o valor e quantidade em cada bomba de combustível e em diversos postos, atentei sempre para a comparação com o computador de bordo que todas as vezes registrava um consumo melhor que o real em torno de 10%.

2. As velocidades médias registradas no artigo são próximas do real, não anotava a cada abastecimento a velocidade média em cada percurso o que farei na próxima planilha com o próximo veículo, mas foram baseadas nas médias normais das viagens que faço sempre com velocidade máxima de 120 km/hr o que no final sempre dá em torno dos 75/80 km/hr variando sempre próximo a isso em função do trânsito, condição da estrada e do tempo.

3. O T-Cross realmente me surpreendeu positivamente, sem nenhum problema digno de registro de quebra ou necessidade de manutenção fora da garantia, apenas como citado no artigo, houve apenas um dos alto-falantes que pifou logo após o término da garantia, o acabamento em plásticos duros que não agrada muito aos olhos e toque e que vejo sempre comentários de quem não possui que em poucos meses vai virar uma escola de samba internamente, decididamente isso não aconteceu, os barulhos internos após os 40 meses são absolutamente imperceptíveis e totalmente normais para o período de uso.

4. Os Pneus após os 41 mil kilometros tendo sido feito no período quatro serviços de alinhamento e balanceamento, não sei informar se foi feito algum rodízio (apenas um desses serviços foi feito na concessionária) no período, encontravam-se no dia da entrega ao novo proprietário em bom estado e ainda um pouco distante do desgaste atingir o marcador TWI, e sem nenhum furo nos 40 meses de uso.

5. A bateria não necessitou troca no período, procuro sempre evitar ligar o carro com o ar-condicionado já ligado, registre-se que o carro não tinha função star-stop.

6. Só vale a pena abastecer e rodar totalmente com álcool em se considerando o custo por km rodado, se o preço realmente estiver 70% do preço da gasolina.

7. E finalizando posso falar sem nenhum receio que aprovei totalmente o T-Cross sob todos os aspectos, registrando que poderia ter um capricho maior por parte do fabricante no acabamento visando uma maior satisfação dos proprietários.

Não optei por comprar um novo porque o preço do modelo para PCD estava superior ao escolhido inclusive em relação a outras opções que pesquisei, além de gostar de sempre trocar por outro modelo quando de nova compra, e a opção agora foi o Renegade 1.3 T270 que vou seguir a mesma rotina de controle com mais alguns registros para maior aperfeiçoamento na planilha e base maior para o comparativo entre os dois.

8. O gasto total e real sem considerar inflação e juros se houvesse investido o dinheiro e considerando todos os custos com o veículo, descontado o valor apurado na venda ficou em R$ 9.806,00, ou R$ 245,15 mensais.

google news2Quer receber todas as nossas notícias em tempo real?
Acesse nossos exclusivos: Canal do WhatsappeCanal do Telegram!

O que você achou disso?

Toque nas estrelas!

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.


Últimas Notícias



Autor: Eber do Carmo

Fundador do PG jogos, com atuação por três décadas no segmento automotivo, tem 18 anos de experiência como jornalista automotivo no PG jogos, desde que criou o site em 2005. Anteriormente trabalhou em empresas automotivas, nos segmentos de personalização e áudio.

PG jogos Mapa do site