PG jogos

BMW R 1200 GS: a famosa mãe das big trails

bmw r 1200 gs 4

A BMW R 1200 GS é uma motocicleta aventureira que pode ser descrita como a “mãe” das Big Trail´s , por ser originada da famosa R 80 GS Paris Dakar.

Como uma linhagem que remonta aos anos 80, a moto da BMW Motorrad mantém, o espírito das grandes viagens sobre duas rodas, apta para ir a locais inóspitos e isolados do mundo.

Seja do calor da Amazônia às grandes altitudes dos Andes, sem contar do abrasador Saara às belas paisagens da Savana Africana, a BMW R 1200 GS é uma moto preparada para qualquer terreno.

Enorme em porte com relação a motocicletas de cilindrada igual ou até superior, a R 1200 GS é o modelo de mais longa duração em produção nesse segmento aventureiro da BMW.

Terceiro membro da família GS oficialmente, desde as primeiras R 80 GS/R 100 GS e a R 1100 GS de 1993, a BMW R 1200 GS foi produzida do final de 2004 até 2012 com refrigeração a ar.

BMW R 1200 GS – versões

bmw r 1200 gs 18

BMW R 1200 GS Sport – Era a versão de acesso que tinha como característica um visual mais limpo, com grande quantidade de opcionais, sendo de série apenas os ajustes físicos de pedais, assentos e para-brisa, além dos modos de tração e de frenagem.

BMW R 1200 GS Adventure – Era a versão mais completa e tinha como maior diferencial, o tanque de 30 litros, com protetor de aço, que envolvia os cabeçotes do boxer.

Tinha ainda a maioria dos sistemas de condução e segurança de série, acabamento em grafite e visual mais esportivo.

BMW R 1200 GS – motores

A BMW R 1200 GS foi equipada com dois motores em sua longa vida no mercado mundial. O propulsor boxer de dois cilindros opostos horizontalmente com quatro válvulas, tinha ignição dupla e injeção eletrônica multiponto.

Tendo diâmetro dos pistões de 101 mm e curso de 73 mm, o boxer renovado era um derivado da antiga BMW R 1150 GS e tinha 1.170 cm³, com refrigeração a ar responsável por 78% do arrefecimento e óleo, com os demais 22% do circuito de resfriamento.

Inicialmente, o boxer da R 1200 GS iniciou a carreira em 2004 com 100 cavalos a 7.000 rpm e 11,7 kgfm a 5.500 rpm, porém, já no modelo 2008, o propulsor foi atualizado para oferecer melhor performance.

Assim, ele passou para 111 cavalos a 7.750 rpm e 12,2 kgfm a 6.000 rpm. Trata-se de um motor muito forte e dotado de bom torque em baixas rotações, ainda que ele gire como um propulsor tradicional de moto.

Conectado à transmissão de seis velocidades com embreagem multidisco em banho de óleo, o motor da BMW R 1200 GS garantia a força necessária para um desempenho exemplar na estrada ou terra.

Em 2010, o comando de válvulas simples no cabeçote foi trocado por um duplo, mas não se alteraram os números do propulsor.

Na atualização em 2013, o motor passou por modificações para dispor de refrigeração líquida, mais eficiente que contribuiu para que a BMW R 1200 GS atendesse às normas de emissão da União Europeia.

Nesse novo arranjo, mudanças estruturais foram feitas na carcaça e cabeçotes, sendo que o líquido de arrefecimento passou a ser responsável por 65% da refrigeração, enquanto os 35% restantes ficaram com o ar.

Alterações no sistema de injeção, cujo mapeamento passou a ser ajustável pelo piloto, garantiu maior potência e torque, passando para 125 cavalos a 7.750 rpm e 12,7 kgfm a 6.500 rpm.

O consumo também melhorou, assim como a emissão de poluentes, que fora considerável na mudança. Na BMW R 1200 GS, não houve outra configuração de motor até a mudança de geração.

A transmissão era feita por eixo cardã articulado sobre o monobraço Paralever.

BMW R 1200 GS – desempenho e consumo

bmw r 1200 gs 16

A BMW R 1200 GS tinha um excelente desempenho desde o início, com consumo médio de 18 km/l na versão de 100 cavalos, a inicial, que levava a aventureira até 213 km/h.

No modelo regular, com refrigeração a ar e 111 cavalos, a R 1200 GS fazia média de 16 km/l e alcançava 220 km/h, indo de 0 a 100 km/h em 2,9 segundos.

Com a mudança, a BMW R 1200 GS passou a fazer 23 km/l com a eficiência devido à refrigeração líquida.

A aceleração de 0 a 100 km/h da BMW R 1200 GS “LC” (Liquid Cooled) era em 3,6 segundos. A velocidade final era a mesma: 220 km/h.

BMW R 1200 GS – tecnologia

A BMW R 1200 GS tinha várias tecnologias, iniciando pela injeção eletrônica BMK do tipo multiponto e com mapeamento ajustável, além de trabalhar com ignição dupla.

A aventureira da BMW tinha ainda os modos de condução: Rain, Road, Dynamic, Enduro e Enduro Pro. O primeiro era para chuva, o segundo para estrada e o terceiro para condução esportiva.

Os modos Enduro e Enduro Pro reduziam os controles de tração e ABS pela metade no primeiro, bem como parcialmente nulos no segundo caso.

A R 1200 GS tinha três modos de controle de tração, com um deles eliminando qualquer assistência para controle de força.

Essa motocicleta da BMW tinha ainda a suspensão ativa ESA com ajuste automático de curso e responsividade dependendo do terreno, tendo ainda função que impedia a frente de mergulhar.

Havia também controle eletrônico de estabilidade e freios ABS de segunda geração para motos, usando ainda pinças da Brembo.

Ela incorporou ainda partida sem chave com sensor presencial e farol de LED com luzes diurnas em LED.

O sistema de suspensão dual da BMW R 1200 GS é bem conhecido e interessante pela concepção. Na frente, o sistema Telelever consiste em um braço triangular preso nas laterais da carcaça superior do motor.

Na extremidade, o braço triangular se apoia entre as bengalas com amortecedores invertidos e tem ao centro, um terceiro amortecedor envolvido por uma mola helicoidal.

Ela garante maior estabilidade dinâmica para a R 1200 GS, visto que a mesa de suporte das bengalas e guidão, é bastante alta. Este amortecimento centralizado tem um dispositivo ativo que ajusta os movimentos da motocicleta.

Na traseira, o sistema Paralever utiliza um monobraço articulado com eixo cardã integrado e dispositivos de controle de tração, sustentando roda, disco de freio e amortecimento com mola helicoidal e batente com atuador eletrônico.

Assim como a frontal, a suspensão traseira garante movimento linear para o conjunto e ainda facilita a retirada da roda, sendo um sistema mais avançado que o original lançado em 1980 na R 80 GS.

BMW R 1200 GS – história

bmw r 1200 gs 2

A BMW R 1200 GS vinha de uma linha que se iniciou em 1980 com a R 80 GS, que era derivada da R 65 de 1978 e usava uma variante do clássico motor boxer Typ 247, que surgiu oficialmente em 1969 e durou até 1995.

Conhecida como “Paris-Dakar” devido ao famoso rali que partia da Europa até a África. Com visual bem rústico e simples, essa moto inspirou a Royal Enfield Himalaian.

Com 50 cavalos e 5,7 kgfm, foi a moto preferida dos aventureiros em muitos cantos do mundo, porém, nunca foi vendida aqui, dado que as importações eram proibidas.

Produzida até 1987, deu lugar à BMW R 65 GS, mais fraca, porém, esta teve a companhia da R 100 GS até a nova geração, a primeira com um novo motor e conceitos mais modernos, a BMW R 1100 GS de 1994.

Esta última já apresentava o conceito usado até hoje, surgindo como uma Big Trail sofisticada e ajustável. Em 1999, surgiu a mais moderna R 1150 GS, que durou até 2006.

A R 1200 GS chegou a ter uma versão xDrive Hybrid com motor elétrico de 45 cavalos no cubo da roda dianteira e 170 cavalos combinados, mas nunca passou de conceito.

Desde a R 1100 GS, a BMW Motorrad oferece a linha GS no Brasil com derivados menores e nacionais, mas da classe boxer, a atual é a R 1250 GS, com 136 cavalos e preço de R$ 119.990 na versão Adventure.

BMW R 1200 GS – fotos

google news2Quer receber todas as nossas notícias em tempo real?
Acesse o nosso exclusivo Canal do Telegram!

O que você achou disso?

Toque nas estrelas!

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.


Avatar photo
Autor: Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 27 anos. Há 16 anos trabalha como jornalista no PG jogos, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.

PG jogos Mapa do site